..Amado meu ..

sanguepawer…eu nasci pra te adorar!!!

Anúncios

Estou esperando meu amor ..eu sei que ele existe..

 Recebi está mensagem.. e sinceramente fiquei sem palavras!!

.. a moça da foto se chama Katie Kirkpatrick e com apenas 21 anos de idade lutou contra o cancer, uma luta quase que em vão.. se não fosse essa palavra tão linda e poderosa: “Amor”. Nick (o garoto com ela na foto) é seu noivo, e mesmo em meio a falta de esperança decidiu se casar com sua amada.. embora não pode lhe dar mais alguns anos de vida (ou dias ).. concerteza os que passou ao seu lado foram os melhores momentos que Katie viveu, quer dizer , que prova maior de amor ele poderia lhe proporcionar ?? se não estando ao lado dela??

Eu acredito que Deus tem o melhor para mim também.. e também creio no amor!! (Espero!!)

*Os momentos que mais precisamos da presença de alguém é o momento em que mais somos esquecidos .. e que mais passamos disapercebidos.. no entanto .. Jesus , o amado da minha alma , tenho certeza que me ama , a ponto de me escolher por sua noiva.. 

Kaite Kirkatrick

Os 3 últimos desejos de Alexandre o Grande

Recebi esse e-mail realmente amei.. não sei bem ao certo se isso é verdade, mas a verdade é que gostei!!

“Quando à beira da morte, Alexandre covocou os seus generais e relatou seus três últimos desejos:

1º Que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época;

2ª Que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistados (prata, ouro, pedras preciosas…)

3º Que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos.

Um dos generais, admirado com esses desejos insólitos, perguntou a Alexandre quais as razões. Alexandre explicou:

1º Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte;

2º Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;

3º Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazios partimos.